CICLO DE LEITURA NHE’REY – MBA’E KAA

Em 1884, o botânico e pesquisador João Barbosa Rodrigues (1842-1909) – que se tornou diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro – viveu entre os indígenas Crichaná, na selva amazônica, estudando a nomenclatura botânica indígena: a Mbaé Kaá.

O resultado dessa vivência foi objeto da comunicação de Barbosa no 3o Congresso Científico Latino-Americano, em 1905. Mais de 100 anos depois, a Dantes Editora recupera e publica essa produção, atualizando-a em uma nova edição, Mbaé Kaá: o que tem na mata. A botânica nomenclatura indígena, um dos primeiros livros da coleção Selvagem.

Nos diálogos do ciclo online Nhë’ery – Mbaé Kaá, propomos uma aproximação entre essa história do pensamento botânico e de pesquisa em relação às florestas do território brasileiro e o pensamento Guarani, com sua cosmologia, sua língua e seus saberes. 

De que forma o pensamento da ciência ocidental moderna sobre as plantas pode se comunicar com os conhecimentos dos povos originários? O que a linguagem, as palavras, as nomenclaturas e os sistemas de classificação podem nos apontar sobre formas de perceber, compreender e estar no mundo?

SOBRE O CICLO

O ciclo é composto por 4 encontros online. Também indicamos a leitura do livro Mbaé Kaá: o que tem na mata, um dos livros da coleção Selvagem e fonte importante para a criação deste ciclo.

A mediação dos encontros foi de Carlos Papá, liderança do povo Guarani e um dos pensadores da constelação Selvagem.

Convidados: Ailton Krenak, Fabio Scarano, Cristine Takuá, Saulo Kuaray, Antônio Wera Kwaray e Anderson Santos

LIVRO
ROTEIRO