Skip to main content
Tag

Ailton Krenak

Conversas

NO BALANÇO DAS REDES

Conversa na Rede é uma série de Conversas Selvagem em que, no balanço das redes, Ailton Krenak e convidades embarcam em reflexões sobre a vida. Lançada em 2022, está em seu quarto episódio e, até o momento, Ailton já conversou com o filósofo Emanuele Coccia, com a antropóloga Nastassja Martin, com o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro e com o fotógrafo e ativista Hiromi Nagakura. Unindo pensadores de diferentes lugares do mundo em uma constelação de saberes, Conversa na Rede tem feito circular uma gama de reflexões fundamentais, arejadas pelo frescor e delicadeza que o formato oferece. Os episódios são filmados presencialmente e depois publicados no canal do Selvagem no Youtube. ‘Amar, comer e ser comida’, o primeiro deles, foi ao ar em novembro de 2022 e trouxe Emanuele Coccia como convidado. Embalados pelos vaivéns, ele e Ailton dialogam sobre temas como o desconforto com a ideia de futuro, a necessidade de reconexão com a materialidade da vida e a…
Mari Rotili
8 de fevereiro de 2024
ConversasFilmes e Flechas

CONEXÃO AMAZÔNIA JAPÃO CORAÇÃO

  No dia 03 de fevereiro de 2024, às 12h, vai ao ar 心 Kokoro | Coração, a quarta Conversa na Rede. Neste episódio, realizado pelo Selvagem, ciclo de estudos em parceria com o Instituto Tomie Ohtake, Ailton Krenak conversa com Hiromi Nagakura, fotógrafo e ativista japonês que esteve no Brasil em outubro de 2023 para a abertura da exposição Hiromi Nagakura até a Amazônia com Ailton Krenak, em cartaz no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Gravada na casa ateliê de Tomie Ohtake, com tradução consecutiva do japonês para o português e vice-versa, os dois amigos, reunidos após muitos anos, relembram episódios de suas vivências enquanto refletem sobre temas como as fronteiras no mundo contemporâneo, a relação entre floresta e metrópole e a possibilidade de conexão verdadeira entre as pessoas. Kokoro, em japonês, quer dizer coração. “O coração podia ser pensado como a chave para todas as transformações que a gente deseja no mundo.” - Ailton Krenak   A…
Mari Rotili
1 de fevereiro de 2024
Artes e Desenhos

BANDEJAS DA ORALIDADE: mosaicos com frases de Ailton Krenak, por Mariana Lloyd

Meu nome é Mariana Llyod, sou mosaicista e designer e vivo no Rio de Janeiro. Em 2021 eu estava produzindo uma coleção de mosaicos baseados em livros que li durante a pandemia. A partir da leitura dos livros de Ailton Krenak e de entrevistas, filmes e podcasts em que ele falou, selecionei algumas frases que são convites de entrada para o universo da cosmovisão indígena. Esses conhecimentos tão ricos e diversos me nutriram, animaram e afetaram em um momento tão difícil. As frases tratam de conceitos chaves para começar a entender uma outra visão de mundo compartilhada por diferentes povos indígenas, ribeirinhos e quilombolas. Uma visão colada ao corpo da terra,  que é de vivência, conversa, familiaridade e respeito, algo que em muito destoa da ideia cristã, eurocêntrica, monoteísta e capitalista de ver e explorar o mundo. Um mundo onde um rio é chamado de avô, em que um ser humano é genro do sol, em que uma mulher é…
Mari Rotili
14 de dezembro de 2023
Conversas

ENTRE DOIS MUNDOS

• Uma entrevista com Eduardo Viveiros de Castro • por Grupo Comunicações da Comunidade Selvagem   Foto: Juliana Chalita - Acervo Selvagem, ciclo de estudos Eduardo Viveiros de Castro foi o terceiro convidado da Conversa na Rede, série audiovisual produzida pelo Selvagem, ciclo de estudos e lançada em seu canal no Youtube em 16 de agosto de 2023. Em Partículas Particulares, Eduardo e Ailton Krenak se encontraram no ateliê de Carlos Vergara, no Rio de Janeiro. À sombra de uma mangueira, conversaram sobre temas como as convergências entre a ciência moderna e a sabedoria indígena, os impactos ambientais do capitalismo e a possibilidade de criar novos mundos a partir das ruínas do que conhecemos.  Desde o início de 2023, pessoas de diferentes cantos do Brasil e do planeta têm se encontrado virtualmente para preparar uma experiência de troca direta entre a Comunidade Selvagem e os autores que compartilham seus conhecimentos através de conversas, livros, ciclos, cadernos e outras criações do…
Mari Rotili
19 de outubro de 2023
ConversasFilmes e Flechas

ENTRE RIOS E JARDINS: SELVAGEM em Londres

“O brilho se diz, dizendo: Respeite as mulheres, Respeite os homens,  Respeite as crianças,  Respeite os anciãos, Respeite as anciãs Assim é que o nosso criador deixou o ensinamento  E desse jeito devemos viver  E com isso cresceremos e vamos amadurecendo com a saúde e alegria  Somente dessa forma vamos alcançar, conviver E saber um jeito de descobrir o bem viver É isso que eu falo Saúdo as divindades!”   Carlos Papá na abertura da Flecha 7: A fera e a esfera. . Em julho de 2023 o Selvagem pousou em Londres a convite do Meeting at the River para uma semana de encontros, workshops e exibições das Flechas. O intuito era mapear como a educação pode incluir diversas formas de conhecer, criar, resistir e mudar a cultura. A conversa com o público londrino começou antes, em agosto de 2022, quando Carlos Papá abriu em rezo A fera e a esfera, sétima e última Flecha, que foi parte integrante da exposição Our…
Mari Rotili
24 de agosto de 2023
Filmes e Flechas

DOIS MOVIMENTOS NA VILA MARIANA: 7 Flechas na Cinemateca e Sempre um Papo no Sesc

  Lançada em 7 episódios ao longo de 2021 e 2022, em 2023 a série audiovisual Flechas Selvagens tem experimentado voos coletivos. Em 11 de julho, eles foram exibidos em sequência na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, abrindo a programação da Mostra Povos Originários da América Latina. A Mostra fez parte do Festival Cultura e Sustentabilidade: Criatividade para um Mundo Possível, composto por filmes, palestras e debates, numa rica programação que seguiu um recorte curatorial com conteúdos que destacavam as relações entre povos originários e seus territórios. O evento visava conectar as pautas ambientais, sociais e de governança ao setor social, articulando o papel da cultura na promoção de ações que encarem criativamente as urgências globais. Anna Dantes, que assina a direção artística, roteiro e pesquisa das Flechas, esteve presente na abertura da Mostra, que reuniu obras feitas por cineastas indígenas e não indígenas do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, México e Peru, em uma convergência de criações que trabalham…
Mari Rotili
11 de agosto de 2023
Artes e DesenhosCantosConversas

BAK | SENTA QUE LÁ VEM HISTÓRIA: começo, meio e começo

"Semeei as palavras… Semeei as sementes que eram nossas e as que não eram nossas. Transformei nossas mentes em roças e joguei uma cuia de sementes… O que aconteceu foi que a palavra que melhor germinou foi confluência". ♦ Nego Bispo ♦   Confluência, palavra semeada por Nego Bispo ao dizer do encontro de saberes de povos que são, também, terra; orgânicos. Palavra que germina a cada dia na Biblioteca do Ailton Krenak, ou BAK, como carinhosamente a chamamos. A BAK é uma iniciativa da Comunidade Selvagem para catalogar e acessibilizar as falas do Ailton. É também um espaço em que confluem pensamentos, sonhos e anseios diversos que as palavras de Ailton vêm gerando em nossas mentes/roças.        Neste espaço, além de disponibilizarmos as falas ao público em geral, também organizamos estudos e semeamos sonhos; sonhos regados pela ideia de imaginar um futuro ancestral. Aqui trazemos histórias de (re)existência e amor com Gaia.      A BAK se faz em…
Mari Rotili
29 de junho de 2023
Cadernos e LivrosCiclo Selvagem

TRAVESSIA SELVAGEM: Vigília da Oralidade na Plataforma SUMAÚMA

Abril de 2023, Museu Nacional do Rio de Janeiro. Quatro anos e meio depois de passar por um incêndio que consumiu a quase totalidade de seu acervo, em seus jardins aterrissou a nave Selvagem. Seis tendas iluminadas desenharam uma meia lua ao redor de uma fogueira, demarcando o espaço físico onde ganhou vida a Vigília da Oralidade: Memórias Ancestrais. Uma noite aquecida e iluminada pelo fogo e pelo calor de memórias que viveram através das falas e cantos de guardiões das palavras indígenas, griôs, quilombolas, acadêmicos e artistas conduziram um público de mais de 200 pessoas dispostas a fazer tamanha passagem. Um ponto central nessa noite inapagável foi o lançamento de Umbigo do Mundo, livro de Francy Baniwa e Francisco Baniwa, editado pela Dantes. Dessa vez o fogo deu a ver as páginas impressas e a harmonia das cores das ilustrações de Frank Baniwa, irmão de Francy. Cristiane Fontes, em reportagem para a Sumaúma publicada no último dia 15 de…
Mari Rotili
19 de maio de 2023
Filmes e Flechas

FLECHAS SELVAGENS NA REVISTA WTLF (UK)

As Flechas Selvagens levam suas ideias até outros continentes, atravessam o mar para atingirem os corpos e os modos de pensar. A revista britânica Where the Leaves Fall tem publicação semestral com um escopo que explora a interação entre a humanidade e a natureza. Na edição Nº 11 a revista contou com um artigo escrito por Anna Souter que contextualiza o pensamento de Ailton Krenak e a produção desse material audiovisual que encanta e mobiliza outras consciências. De acordo com Anna Souter, “Os filmes não são apenas veículos de beleza e tranquilidade; eles buscam causar impacto e despertar uma reflexão profunda”. Desse modo, ela enfatiza a capacidade que o projeto tem de deslocar perspectivas e apresentar a riqueza cultural dos povos indígenas para aqueles que estão distantes desse modo de ver e de se relacionar com a vida e com os seres viventes. O artigo completo pode ser encontrado em: https://wheretheleavesfall.com/explore/article-index/wild-arrows/  Texto por Ana Otero
Mari Rotili
13 de maio de 2023
Filmes e Flechas

NHANDE MARANDU, MENSAGENS DA FLORESTA NO MUSEU DO AMANHÃ

Se pensarmos no futuro pautados em uma única narrativa, em um tempo linear, somos lançados a um amanhã cada vez mais distante; fixados à ideia de ‘produzir’ o amanhã, perdemos o tempo presente. E se, como sugere Ailton Krenak em Futuro Ancestral (Companhia das Letras, 2022), fôssemos capazes de sustentar uma postura de abertura, de acolher a inovação que chega junto a cada nova criança, a cada recém-chegado em Gaia e abríssemos espaço para que se criem relações entre múltiplas experiências de tempo e formas de vida?    Para fazer circular diversas narrativas sobre a vida, o Laboratório de Atividades do Amanhã (LAA) promoveu a exposição NHANDE MARANDU: Uma História de Etnomídia Indigena. A exposição acontece no Museu  do Amanhã, no Rio de Janeiro, com abertura em 11 de novembro de 2022 e encerramento em 30 de abril de 2023. Esta é uma oportunidade de transmitir mensagens que nascem de lugares de afetação com a vida - experimentada em toda…
Mari Rotili
29 de abril de 2023