Skip to main content
Tag

Exposição

CantosConversas

UMA CIRANDA ENTRE MEMÓRIAS

Foto: JPrado Seguindo o futuro das Escolas Vivas, sonhamos viver o tempo das memórias vivas e ativas, em um fluxo constante de trocas e sensíveis interações com todas as formas de vida. Cristine Takuá   No dia 24 de janeiro de 2024, fizemos um grande encontro na exposição VIVA VIVA ESCOLA VIVA, celebrando os últimos dias na Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro. A visitação segue aberta ao público até domingo, dia 28 de janeiro. No entanto, em vez de um encerramento, o que criamos juntos foram novas aberturas, novas conversas, novos inícios. O que é vivo, afinal, não se encerra, ainda mais quando sabemos que nossos passos vêm de antes. Quando nos reunimos em roda para celebrar a memória, a diversidade e a potência viva de estarmos juntos, aprendermos e ensinarmos. Essa foi mais uma oportunidade de aprender a estar no mundo desde dentro das Escolas Vivas. Foto: JPrado Em uma visita guiada por toda a exposição, seguida de…
Mari Rotili
26 de janeiro de 2024
Artes e Desenhos

A CANA EM CENA

Foto: Rafael Blasi   O que sente uma cana-de-açúcar? O que nos diria essa voz vegetal, depois de séculos de exploração? Estas são algumas questões levantadas em Solo da Cana, trabalho cênico de Izabel Stewart apresentado no dia 13 de janeiro de 2024 na Casa França Brasil, como parte da programação da exposição VIVA VIVA ESCOLA VIVA, realizada pelo Selvagem. Em cena, um corpo de mulher transforma-se em cana-de-açúcar, ícone da cultura mono-agro-pop, planta que ao longo dos tempos tem tido seu corpo torcido pelas engrenagens de um sistema que sustenta desigualdades e mói o planeta. Para Izabel, assumir a perspectiva de uma cana de açúcar é um jeito de dizer, junto com os povos indígenas, que a Terra também é viva, também é gente. Que as fraturas que o ocidente criou entre humanos e não humanos, entre quem tem alma e quem não tem, entre cultura e natureza, são um modo muito empobrecido de encarar a beleza da vida. …
Mari Rotili
18 de janeiro de 2024
Artes e Desenhos

VIVA VIVA – EXPOSIÇÃO ESCOLA

 Selvagem, ciclo de estudos apresenta as Escolas Vivas em exposição de artes e medicinas na Casa França-Brasil     Quem caminha pelo centro do Rio de Janeiro pode provar a sorte de ter o olhar atraído por duas onças que ladeiam a entrada da Casa França Brasil. São desenhos Guarani que convidam o público a entrar na exposição VIVA VIVA ESCOLA VIVA, aberta no dia 02 de dezembro e com visitação gratuita até 28 de janeiro de 2024. A exposição é uma realização do Selvagem, ciclo de estudos sobre a vida e traz, pela primeira vez, a confluência entre as Escolas Vivas, territórios de transmissão de saberes tradicionais que têm sido ativados em diálogos coordenados por Cristine Takuá. Educadora, mãe, parteira, pensadora Maxakali, Cris habita, há 20 anos, com seu companheiro Carlos Papá Porã Mirim e seus filhos Kauê e Djeguaká, a Terra Indígena Rio Silveira do Povo Guarani-Mbya, e tem compartilhado em relatórios trimestrais as vivências das Escolas Vivas…
Mari Rotili
22 de dezembro de 2023
Artes e DesenhosFilmes e Flechas

AS FLECHAS, O CHÁ E AS PEDRAS

“O centro de Gaia é composto em grande parte por magnetita, um mineral que o transforma em um ímã gigante. As espécies migratórias possuem fragmentos de magnetita em seus corpos que lhes permitem sentir o campo geomagnético para criar rotas para locais mais adequados para sua sobrevivência e retorno ao ponto de partida. A magnetotaxia os torna sua própria bússola. A espécie humana possui fragmentos de cristais de magnetita em seu corpo, mas como não estão ligados ao sistema nervoso, não configuram um sentido. Temos em nossos corpos um fóssil do centro da terra que está relacionado a outras espécies migratórias, mas não sabemos para onde ir ou como voltar.”  No dia 17 de maio as Flechas Selvagem estiveram acompanhadas das Magnetitas da artista Tau Luna Costa e da Planta do Chá, em cerimônia guiada por Daniela Ruiz, em seu projeto Mediteation. O encontro foi parte do ciclo de ativações da exposição “El tiempo como las piedras” na Galeria Tangent,…
Mari Rotili
7 de junho de 2023
Filmes e Flechas

NHANDE MARANDU, MENSAGENS DA FLORESTA NO MUSEU DO AMANHÃ

Se pensarmos no futuro pautados em uma única narrativa, em um tempo linear, somos lançados a um amanhã cada vez mais distante; fixados à ideia de ‘produzir’ o amanhã, perdemos o tempo presente. E se, como sugere Ailton Krenak em Futuro Ancestral (Companhia das Letras, 2022), fôssemos capazes de sustentar uma postura de abertura, de acolher a inovação que chega junto a cada nova criança, a cada recém-chegado em Gaia e abríssemos espaço para que se criem relações entre múltiplas experiências de tempo e formas de vida?    Para fazer circular diversas narrativas sobre a vida, o Laboratório de Atividades do Amanhã (LAA) promoveu a exposição NHANDE MARANDU: Uma História de Etnomídia Indigena. A exposição acontece no Museu  do Amanhã, no Rio de Janeiro, com abertura em 11 de novembro de 2022 e encerramento em 30 de abril de 2023. Esta é uma oportunidade de transmitir mensagens que nascem de lugares de afetação com a vida - experimentada em toda…
Mari Rotili
29 de abril de 2023